Romantismo

romantismo1


Costuma datar-se o início do Romantismo em 1825 com a publicação, em Paris, do poema Camões, de Garrett. Todavia esta obra não teve sequência imediata, sendo mais correto datá-lo de 1836, ano da publicação de A Voz do Profeta, de Alexandre Herculano.

Características Gerais

Individualismo: contra as regras dos neoclássicos, contra a imitação dos modelos.

Ânsia de Liberdade: os autores serão dominados pelo instinto, pela paixão, pelo sentimento, pelo idealismo religioso, pela comunhão com a Natureza. O herói romântico comporta-se como um rebelde, altivo e desdenhoso, desafia a sociedade e o próprio Deus.

Interesse pela Idade Média: Abandonados os modelos greco-latinos e respectiva mitologia, os românticos regressam à Idade Média, denegrida pelo racionalismo Iluminista. A imaginação povoa-se de castelos antigos, monges, cavaleiros.

Nacionalismo: Tudo quanto é popular e nacional é exaltado. O folclore, os costumes, as figuras nacionais, a história pátria.

Natureza: Em oposição à natureza amena dos clássicos, cria-se uma natureza em tumulto, de imagens sombrias, nocturnas, capaz de provocar sensações violentas. Estabelecem-se relações afectivas com o «eu» e os objectos são associados aos estados de alma. O Romantismo descobre a beleza da solidão, da noite, das trevas, do vento agreste e da paisagem selvagem.

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s